E esse foi nosso legado de amor pra POA. Abracinhos na árvore do Parque da Redenção!
Leia em 9 min

Esse é um post maneiríssimo, que vai te ensinar uma receita ainda mais maneira pra fazer um yarnbombing vistoso, com um novelo só.
—>>> IMPORTANTE: Use a hashtag #abraçodescolado quando postar a sua árvore, pra ela aparecer aqui!

Yarnbombing, pra quem não sabe, é o ato de fazer uma intervenção em algum espaço, usando fios e linhas, com a técnica que for: crochê, bordado, tricô… já vi umas grades lindíssimas simulando ponto cruz, árvores pra lá de coloridas, e até mesmo amigurumi, em projetos fofos e temáticos de membros do grupo Crochê Descolado. Vou fazer um post separado falando só dessa arte maravilinda, que me parece ser uma exacerbação do crochê. É até poético quando essa nossa arte, geralmente tão ensimesmada e introspectiva, extravasa os limites de nossas mãos e corações e pede pra ir pra rua. Pede pra ser vista. Pede pra emocionar e tocar os olhos de quem passa distraído.

Sempre amei essa coisa de intervenção urbana e, quando topei com o trabalho da musa tecelã brasileira, Anne Galante, apelidado de graficrochê (grafitti + crochê) quase dei chilique de vontade de fazer também. E eis que, num belo dia lá no grupo, um bando de portoalegrenses pilhadas posta um yarnbombing bacanudo e lança a pergunta: “Vamos?” A resposta não podia ser outra: “Vamos!” 

Entre as referências escolhidas e postadas por lá, uma delas mexeu comigo mais que as outras: duas mãos, ligadas por um braço compriiiiido, abraçando uma árvore – obra original de Rebecca Fabulatrice, que usou luvas pra fazer esse efeito. Pois que era exatamente o que esta doida que vos escreve estava precisando: de um projeto simples, prático, bonito e cheio de significado pra engatar de vez nessa brincadeira de crochetar o mundo. Procura receita daqui, procura receita dali, e nada de achar uma receita já existente (pra prestigiar quem quer que tivesse feito isso primeiro). Aos 45 do segundo tempo, quase embarcando pra POA pra me encontrar com essas meninas, acabei inventando minha própria receita das mãozinhas que amei, pro nosso yarnbombing descolado.

Perguntando pra quem já brincou disso, recebi o feedback de que linha acrílica é o que há de melhor pra fazer arte externa. Porque algodão (amor da vida) pesa e desbota quando chove, e estraga muito rapidamente (todas chora). Então, bora superar o rancinho de lã acrílica e ser feliz com as milhares de cores dela, ok? Ok.

Essa receita foi criada numa noite e está sendo escrita na madrugada seguinte, porque ímpeto criativo não escolhe hora, e nada me convence a dormir enquanto não rascunhar isso. Hahaha. Portanto, há bastante espaço pra melhorá-la, e sugestões são sempre bem vindas.

Receita de crochê – Abraço na Árvore – Yarnbombing Descolado #abraçodescolado

Agulha: 4 mm (usei a Tulip)
Linha: Flash | Pingouim (pra fazer crochê pra área externa, lã acrílica é o ideal. Pode ser de qualquer marca, mas eu achei que o custo x benefício da flash estava ótimo).
Tamanho (aprox): o braço pode ser infinitamente crochetado, pra dar quantas voltas você achar legal).
Tipo de crochê: carreiras
Nível: fácil, porém confuso porque é cheio de pedaços. Mas vai na fé que cada uma fez de um jeito lá, e deu tudo certo no final!

Pontos usados:
corr: ponto corrente
pb: ponto baixo
pbx: ponto baixíssimo
pa: ponto alto
aum: aumento (2 pa no mesmo ponto)
dim: diminuição (não é a invisível, é a comum!)
mpa: meio ponto alto (que é quando a gente dá uma laçada como se fosse fazer ponto alto, mas puxa as três laçadas de uma só vez)

DICAS DO AMÔ:

  • Essa receita foi feita em uma noite, tomando minha mão por base. O acabamento não é ponto crucial aqui e, por isso, escolhi o ponto alto pra que fosse rápido e prático de fazer. Se no final de alguma carreira estiver faltando ponto, liga não. Enfia um pontinho a mais, se estiver sobrando ponto junta dois, que vai dar tudo certo e ninguém vai perceber. Você vai ver.
  • Em vez das duas correntinhas pra subir, você pode usar a técnica do ponto alto fake. Tá lá na live dos paranauês crocheteiros, que eu subi pro YouTube pra facilitar a vida (e já tá no ponto certo do vídeo). Corre lá pra ver!
  • O importante é o número de pontos ser o mesmo da receita no final de cada carreira. Tanto faz onde você coloca os aumentos: o importante é que dê tudo certo no final.

Importante: sempre faça o primeiro ponto de cada carreira no mesmo lugar onde você subiu, pra não deixar furinho. Se ao final da carreira ficar sobrando um ponto, a gente faz uma diminuição e fica tudo certo.

Eu já vou começar colocando a foto com o número de pontos que precisa ter em cada carreira.
Fotinho da quarta carreira, pra você ficar em paz que o negócio fica um leque mesmo. Vai querer embabadar, e você, na sua infinita sabedoria, vai puxar e esticar tudo até ele se ajeitar na vida.

Carreira 1: 6pa. no anel mágico (6)
—>>> Atenção aqui, brother: não fecha o anel mágico. Sobe com 3 corr ou aquele ponto alto fake ensinado ali no vídeo do link.
Carreira 2: 2pa em cada ponto da carreira anterior (10) (São 10 porque não fechamos o anel mágico)
Carreira 3: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa, 1 aum, 4 pa, 1 aum, 2pa (13)
Carreira 4: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 5pa, 1 aum, 4 pa, 1 aum (15)
Carreira 5: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa em cada ponto da carreira anterior. No final, se estiver sobrando um ponto, faça uma diminuição. (15)
Carreira 6: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1aum, 11pa, 1aum (17) 
Carreiras 7:
 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 11pa. Aqui a gente para antes de chegar ao final, com 13 pontos, e sobe pra outra carreira. O espaço que sobrou será usado pra fazer o dedo polegar. (13) 
Carreiras 8 e 9: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa em cada ponto da carreira anterior. No final, se estiver sobrando um ponto, faça uma diminuição. (13)


DEDOS
Dedo indicador:
Carreiras 1 a 6: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa, 1dim. (4)
Carreira 7: 1pb (não precisa subir com correntinha), 2mpa, 1pbx. Corte a linha e arremate.

Dedo médio:
Introduza a linha no ponto seguinte da mão, ao lado do dedo anterior.
Carreiras 1 a 7: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa, 1dim. (4)
Carreira 8: 1pb (não precisa subir com correntinha), 2mpa, 1pbx. Corte a linha e arremate.

Dedo anelar:
Introduza a linha no ponto seguinte da mão, ao lado do dedo anterior.
Carreiras 1 a 6: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa, 1dim. (4)
Carreira 7: 1pb (não precisa subir com correntinha), 2mpa, 1pbx. Corte a linha e arremate.

Dedo mínimo:
Introduza a linha no ponto seguinte da mão, ao lado do dedo anterior.
Carreiras 1 a 5: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1dim. (3)
Carreira 6: 1pb (não precisa subir com correntinha), 1mpa, 1pbx. Corte a linha e arremate.

Dedo polegar:
Introduza a linha no primeiro ponto da sétima carreira, onde subimos e deixamos o espaço desse dedo.
Carreiras 1 a 3: 1pa pra subir, 1pa no mesmo ponto que subiu, 1pa, 1dim. (4)
Carreira 4: 1pb (não precisa subir com correntinha), 3mpa, 1pbx. Corte a linha e arremate.

Tcharam! Você fez uma mãozínea. Agora faça outra igual, que depois a gente vai fazer um braço pra juntar as duas! Prepara pra foto cagadíssima ruim porque eu tô de férias na casa da mãe e já desmontei o mini estúdio! hahaha

BRAÇOS:
Pegando a mão de cabeça pra baixo, reintroduza a linha na altura da segunda carreira, e faça 2pa (ou 3corr + 1 pa), como na foto.

2 pa no mesmo ponto

A primeira carreira do braço seque a seguinte sequência: 2pa no mesmo ponto (que já fizemos), 2mpa, 1pb (que deve cair justamente no anel mágico inicial), 2mpa, 2pa no mesmo ponto. (9)

2pa no mesmo ponto, 2hdc, 1pb, 2hdc, 2pa no mesmo ponto.

Depois disso, basta seguir subindo o braço com 9pa até atingir o tamanho que você quer (o bacana é ir medindo na árvore) mas, mesmo sem medir, penso que só tenha jeito de dar errado se ficar curto demais pro tronco. Qualquer outro tamanho dá de ser divertido.

DICA: Antes de emendar no outro braço, faça uma carreira com a mesma sequência da primeira (2pa – mas agora não no mesmo ponto, 2mpa, 1pb, 2mpa, 2pa), e una a mão com um ponto baixo na última carreira – ou, se acabamento for importante, use uma agulha de tapeçaria pra alinhavar.

Considerações Finais:
1. A gente prendeu na árvore usando costura, e cada uma de nós fez de um jeito diferente. Portanto, não há certo ou errado, o importante é funcionar! O próprio tronco da árvore, por ter textura bastante áspera, ajudou bastante a fixar os dedinhos.
2. a mão não fica reta por força de vontade: pode esticar e puxar com goxto. Eu já ouvi dizer que a boa crocheteira é a que faz o trabalho sair já lindo da agulha, mas entre tentar ser tecnicamente sensacional e fazer as coisas acontecerem, eu fico com a segunda opção.
3. PELOAMORDOCROCHÊ, se postar, marca eu! Ou usa a hashtag #abraçodescolado, ou manda por e-mail pra mim (tira os espaços antes e depois da arroba): bruna @ crochet.land. A gent vai fazer um MAPA colaborativo pra mostrar pra todo mundo onde estão as árvores, e fazer uma área aqui do site pra juntar fotos de todas elas! (mas precisa usar a hashtag e o post precisa estar público).

USE SEM MODERAÇÃO! :*

Deixe uma resposta