Leia em 5 min

Em um papo sobre mercado, campanhas de marketing e a tal necessidade de comprar sempre fios desta ou daquela marca, passamos a compartilhar, em um grupo, o conhecimento e as preferências de cada uma em relação a fios diferentes. Percebemos, então, quanto conhecimento poderia ser disseminado, e juntamos as forças (e os calendários) de vinte artesãs para trazer à vida esse projeto de troca coletiva.

E, que sou nerdíssima de fios, e defensora ferrenha de que todos os fios contínuos e flexíveis podem e devem ser usados nessa grande brincadeira que é o tecer manual, quis fazer a minha parte para trazer ideias de como sair dos armarinhos e se aventurar em outros cantos! Já procurou fio em loja de materiais de construção? Em papelarias? Naquele quintal abarrotado de coisas na casa dos seus pais ou avós? Pois então, te convido a começar!

Qualquer fio contínuo e flexível dá um caldo. Não se restrinja aos armarinhos pra encontrar os seus materiais! 💃


E, como contribuição pessoal para esse desafio lindo, quero falar desse fio que eu encontrei em uma loja de bugigangas, por um euro cada rolinho: a juta!


Antes de mais nada, eu quero deixar claro que não estou falando do fio JUTE, que eu ainda não usei mas, sim, dos fios de juta comuns, usados em floriculturas e papelarias, para amarrar arranjos e embalagens. Esses fios são extremamente baratos, vêm em grande quantidade, e trazem um efeito rústico lindo demais para as nossas peças. Vamos brincar de fio!

Por mais simples que a receita seja, ela é, antes de tudo, um convite. Um convite a explorar outros materiais, como a Juta, e obter resultados diferentes com agulhas diferentes: uma agulha larga produzirá um tecido maleável, cheio de buracos. Uma agulha mais fina vai te dar um tecido mais rígido, robusto. A escolha reside na pergunta: o que você quer produzir hoje?

Fala pra mim: você também olha fio e já imagina como ele vai ficar, se for crochetado?

Fundo de Bolsa em Juta Comum – Receita de crochê

Agulha: 2 mm (Usei a Pony)
Linha: Fio de juta comum, vendido em floriculturas, papelarias, casas de materiais de construção, lojas de bugigangas, etc.
Tamanho (aprox): 24 cm x 16 cm (mas você pode fazer do tamanho que quiser)
Tipo de crochê: espiral
Nível: fácil, porém, requer muque. A galera do fio de malha sai na frente nesse quesito! hahaha

Pontos usados no fundo:
am: anel mágico
pb: ponto baixo

Pontos usados na bolsa: 
corr: correntinha
pbx: ponto baixíssimo
pb: ponto baixo
pa: ponto alto

(vou trazer uma sugestão de bolsa em um próximo post, mas você pode fazer qualquer receita a partir desse fundo!)

DICAS DO AMÔ:

  • Recomendo usar uma agulha comum esmaltada (aquela branquinha) que desliza que é uma beleza. Não recomendo usar uma agulha mais cara (Clover, Tulip) de jeito nenhum, já que a juta é um fio “bruto” e áspero, que pode acabar danificando a cobertura dela.
  • Eu usei a Pony porque, além de esmaltada e super em conta, ela é extremamene resistente. É a “cucaracha” das agulhas ergonômicas, sobrevive a um tufão. Hahaha. Se você tem uma, use por sua conta e risco. Eu usei e ela continuou perfeita, mas eu estava disposta a arriscar, por causa do cabo de borracha super flexível dela.
  • Adapte o tamanho da agulha ao tamanho do fio que você encontrar: tenha em mente que precisa ser bem apertadinho, para que o fundo fique firme e estruturado. Se você usar uma agulha muito grande, vai obter um efeito diferente.

Carreira 1: 6 pb no anel mágico (6)
Carreira 2: 1 aum em cada pt (12)

Carreira 3: *1 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (18)

Carreira 4: *1 pb, 1 aum, 1 pb *, repete em toda a volta (24)

Carreira 5: *3 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (30)

Carreira 6: *2 pb, 1 aum, 2 pb *, repete em toda a volta (36)

Carreira 7: *5 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (42)

Carreira 8: *3 pb, 1 aum, 3 pb *, repete em toda a volta (48)

Carreira 9: *7 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (54)

Carreira 10: *4 pb, 1 aum, 4 pb *, repete em toda a volta (60)

Carreira 11: *9 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (66)

Carreira 12: *5 pb, 1 aum, 5 pb *, repete em toda a volta (72)

Carreira 13: *11 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (78)

Carreira 14: *6 pb, 1 aum, 6 pb *, repete em toda a volta (84)

Carreira 15: *13 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (90)

Carreira 16: *7 pb, 1 aum, 7 pb *, repete em toda a volta (96)

Carreira 17: *15 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (102)

Carreira 18: *8 pb, 1 aum, 8 pb *, repete em toda a volta (108)

Carreira 19: *17 pb, 1 aum*, repete em toda a volta (114)

Carreira 20: *9 pb, 1 aum, 9 pb *, repete em toda a volta (120)

Carreiras 21 a 27: 1 pb em cada pt em toda a volta (120)


Corte o fio e arremate (não vou negar, não vai ser fácil), usando a técnica do arremate ideal, ou “correntinha de mão”.

Faça do tamanho que preferir! Esse é o tamanho que eu vou usar na próxima receita aqui do blog. Se estiver afim de uma bolsa nova, vai fazendo o fundo! 😉

E tah dahhh! Sua peça está pronta para virar bolsa!

Escolha qualquer outro fio de sua preferência, e crochete com seu ponto favorito, ao redor do seu fundo, sem aumentos nem diminuições. E sua bolsa estará prontinha e linda para fazer seu verão mais colorido!

A grande vantagem desse fundo é a relação custo-benefício da juta tradicional, em relação aos fundos comprados prontos. O efeito é lindo e está super em alta, e o preço é super baixo.

Me conta se fizer? Ou use as hashtags #heyscopel e #MaratonaHandmade pra gente poder ver! 😍

Deixe uma resposta